Artesanato do NorteTextil

Capas de Honras Mirandesa

Foto de Carlos Cardoso, via Trajes de Portugal

Em terras de Miranda o clima é variável (normalmente ou é extremamente fria ou extremamente quente) e por este motivo existe um ditado dito pela sua gente "Há nove meses de Inverno e três de Inferno". Devido a esta situação climática, as capas de honra de Miranda foram criadas com o propósito de proteger os guardadores de vacas e pastores das estações do ano extremamente rigorosas.

Devido á sua utilização ser destinada á área da agro-pecuária, os trajes foram criados de maneira simples, austera e artesanal, feita com base de recursos locais, nomeadamente a lã (Burel), fiada, urdida, tecida e pisoada, e de linho.

Este artigo ainda fabricado em Constantim (Miranda do Douro) é utilizado em ocasiões especiais por lavradores e pastores da região transmontana. Utilizam-se aplicações de burel finamente cortadas para coser a parte de trás da pala, cabeção "Honra", orlas das abas e da racha. A pala do capuz é debruada por uma fita de tecido de lã preta e o cabeção e a honra rematam em franja.

Estes trajes antigamente eram usados por quem possuía um estatuto social mais elevado, mas com o passar do tempo passou a ser utilizado por pastores e lavradores da região. A palavra "Honra" neste contexto não se deve apenas pelo uso destes trajes por parte dos mais ricos e nobres, mas sim por quem trabalhava muito.

Hoje em dia estes trajes são bastante procurados por pessoas de fora da região o que confirma a sua beleza, admiração e riqueza deste artigo presente no artesanato português.

Através desta grande peça exemplar do artesanato e da cultura portuguesa concluímos que o artesão tem imensa dedicação, imaginação, rigor e orgulho no seu trabalho.

Encontre esta peça de artesanato na nossa loja

Visitar